web page software

HÁBITOS x CONSUMO CONSCIENTE.

Por Patrícia Tavares/ Dudu Ferreira - 02/06/2016

Hábitos x Consumo Consciente

A cada dia nossa sociedade se torna mais consumista. Chegamos ao ápice de comprar produtos e nos esquecermos do que carregamos na sacola. O arrependimento pós-compra também é percebido. Existe até um termo para isso: dissonância cognitiva - que nada mais é do que o processo de auto-convencimento da necessidade de aquisição deste ou aquele produto/serviço. Repetimos incessantemente: “eu comprei porque eu mereço, né?”, “eu precisava aproveitar a promoção”, “tudo bem que hoje eu não vou usar, mas vai que um dia eu preciso disso, não é mesmo?”. Chega! Precisamos refletir: O que está acontecendo?


Esse ritmo alucinante está fazendo mal ao nosso planeta. Nossos hábitos cotidianos, como a produção crescente de equipamentos tecnológicos e o acúmulo de resíduos, estão exigindo da Terra mais do que ela pode suportar. A saída é uma só: conscientização.


As pessoas fogem do estresse, mas seus empregos estão nas metrópoles. E o carro é indispensável. As vendas de veículos caíram de 2001 para cá, mas a frota dos EUA continua sendo maior que o número de motoristas habilitados. Gastar tempo na cozinha é inimaginável diante da praticidade do fast-food e dos alimentos congelados. Na virada do século, os norte-americanos gastaram 110 bilhões de dólares em restaurantes de refeições rápidas - ou 390 dólares por pessoa. E o conforto também está nas facilidades tecnológicas. Pesquisa da Pew Research Center de 2006 mostra que 71% da população acreditam que ter um aparelho de ar-condicionado em casa é fundamental. 


Qual é o custo desse estilo de vida para o nosso planeta? Embora sejam 5% da população mundial, os norte-americanos são responsáveis por 32% do consumo. Em média, cada cidadão dos EUA produz 760 quilos de lixo por ano - quase o dobro que um do Japão. O relatório State of the World 2010, da Worldwatch Foundation, calculou quantas pessoas o mundo conseguiria manter de forma adequada se elas tivessem os hábitos dos norte-americanos. Resultado: 1,4 bilhão. Porém já somos 6,6 bilhões. 


À primeira vista, pode parecer que praticar o consumo consciente é algo difícil de fazer no cotidiano, ou inacessível, ou caro. Mas bastam algumas mudanças de hábitos para se iniciar um processo de engajamento nessa prática. Abaixo relacionamos algumas dicas práticas e significativas! Contamos com a ajuda de todos na preservação do nosso planeta!


 Consertar um item quebrado antes de comprar um novo é uma atitude antes de tudo econômica, mas que também poupa recursos naturais – hoje a sucata eletrônica é um dos maiores problemas globais. 


 Celulares antigos, computadores e televisores que chegaram ao fim da vida útil não podem ser descartados no lixo comum, pois contém metais pesados que contaminam o meio ambiente. Avalie a real necessidade de comprar um aparelho novo e, ao descartar o antigo, informe-se sobre empresas que fazem a reciclagem do lixo eletrônico – esse serviço já está disponível em muitas cidades. 


 Evite as lâmpadas incandescentes; embora mais baratas, elas têm vida útil curta. As lâmpadas fluorescentes duram até 10 vezes mais, e as led são até 25 vezes mais duráveis e consomem pouca eletricidade.


 Ao utilizar a geladeira, evite sobrecarregar o aparelho com alimentos demais: é necessário que o ar frio tenha espaço para circular; nos dias frios, ajuste o termostato para temperaturas maiores.


 Escolha os eletrodomésticos mais eficientes. Compare usando as informações do selo Procel, do Inmetro, presente nos aparelhos. Os que possuem classificação A são os mais econômicos.


 Na hora de lavar as roupas, deixe acumular a roupa suja para usar a máquina de lavar menos vezes, atitude que economiza, ao mesmo tempo, água e energia elétrica. A água descartada pela máquina pode ser reutilizada para lavar o quintal.


 Uma torneira pingando é capaz de desperdiçar 46 litros de água por dia; em um mês, isso equivale a 1.380 litros. Faça a manutenção correta ou troque as torneiras antigas por modelos com sensores de água.


 O mesmo vale para as válvulas de descarga reguladas. Uma válvula desregulada pode gastar até 3 vezes mais água. Se possível, invista em válvulas inteligentes, com duplo fluxo, que liberam maior ou menor quantidade de água conforme a necessidade.


 Ao regar as plantas, utilize um regador em vez de mangueira. E deixe a tarefa para o período da manhã ou final do dia, quando a temperatura está mais amena e a evaporação é menor.

 Limpe os pratos antes de lavar a louça e feche a torneira enquanto ensaboa, abrindo-a apenas na hora de enxaguar.


 Acompanhe seu consumo mensal nas contas de água e fique atento às oscilações de consumo, que podem indicar alguma irregularidade.


 Jamais utilize a mangueira de água para “varrer” as calçadas e o quintal. Essa atitude desperdiça nada menos do que 280 litros de água em apenas 15 minutos. Em um ano, o desperdício pode chegar a 14 mil litros de água.


SIGA-NOS